Raquete dos Profissionais – Stan Wawrinka

Raquete dos Profissionais – Stan Wawrinka

Curiosos para saber um pouco mais sobre a raquete do Stan Wawrinka? Espero que sim!

Hoje estaremos iniciando uma nova série de publicações sobre as raquetes dos profissionais, ou seja, sobre as raquetes que eles realmente usam e não aquelas por quais eles são patrocinados.

Antes de mostrar a raquete do nosso primeiro Pró, gostaria de esclarecer alguns termos técnicos que são utilizados tanto aqui no Brasil quanto nos fóruns estrangeiros quando se trata desse assunto. Esse termos são: Retail, Pro Stock e Paint Job. 

O termo Retail refere-se às raquetes comuns que são vendidas e comercializadas em grande escala como, por exemplo, a Babolat Pure Aero, Wilson Pro Staff 97, Head Graphene Touch Speed MP, Yonex Dr 98, Prince Tour 100, etc. Essas raquetes são essas que vocês visualizam em nosso site e que são, na maioria da vezes, bem diferente das raquetes dos profissionais, pois elas tem a finalidade de abranger e alcançar uma maior variedade possível de jogadores.

O termo Pro Stock faz referência as raquetes que os jogadores profissionais utilizam, já que passam por um processo personalizado de customização e que, na maioria das vezes, tem um peso e Swingweight elevados e uma rigidez menor dos que as raquetes retail. As raquetes Pro Stock são raquetes que vem sendo customizadas pelos jogadores ao longo do tempo, mas que partiram de uma raquete base (retail) em algum momento. Ou seja, raquetes Pro Stock já foram em um determinado momento uma raquete Retail.

E por último o termo Paint Job. Paint Job significa simplesmente a pintura da raquete. Mas como assim? Vamos imaginar que um Pró use uma raquete de 2005 só que a marca lança um modelo novo de raquete que patrocina esse jogador. O que irá acontecer? O jogador não vai simplesmente aderir ao novo modelo, já que sua raquete está de acordo com suas preferencia e já passou por um processo de customização. Então a patrocinadora irá fazer o seguinte: ela vai pegar a raquete desse jogador e irá pintá-la de acordo com a última raquete que patrocina esse jogador para que essa raquete seja vendida como se fosse a que o jogador usa, mas que na verdade está bem longe disso.

Conhecendo esses termos chegou a hora da verdade =). Chegou a hora de conhecer a raquete do nosso primeiro Pró. Com vocês a raquete de Stan Wawrinka.

Clique para ampliar

Esse é um post de um encordoador italiano profissional Aldo Manfredini publicado no Facebook (clique no link para saber mais) onde você pode ver as reais especificações da raquete do Stan Wawrinka.

Ele usa uma cabeça 95 em vez da 97 da nova Yonex VCore Duel G 330 (modelo pelo qual ele é patrocinado). Vocês podem ver que a raquete é pintada como já foi falado anteriormente. O peso dela encordoada com overgrip passa das 370 gramas o que pode ser traduzida como tijolo  uma raquete muito pesada e que pode ser manuseada por poucos mortais =). Outro fator interessante é o equilíbrio, existe um tendência na customização que quanto maior o peso da raquete mais equilíbrio no cabo a raquete deve ter para não perder a manuseabilidade. Na raquete do Stan não vemos isso, vemos uma raquete equilibrada com o balanço entre 32.1 e 32.3.

Aqui o bicho pega 360 de Swingweight tem que ser muito homem viu? Pra utilizar uma raquete com esse SW você deve ter um condicionamento físico mais do que em dia e uma tonificação muscular na parte superior impressionante. Imaginem jogar nessa intensidade do nível profissional com esse peso? Não é pra qualquer um mesmo. A rigidez ligeiramente menor do que a Duel G (66RA) pesos colocados nas posições 3 e 9 horas com aproximadamente 12,7 centímetros cada. Ele usa o grip de couro da Yonex junto com uma RPM Blast 1.30. Padrão de cordas 16×20 e uma tensão bem legal pra gente testar ( talvez um pouco mais baixa) de 27kg(61 libras) x 25 kg(57libras) dando 4 libras de diferença entre as mains e as crosses.

Detalhe do posicionamento dos pesos

 

Etiqueta detalhada da libragem e da corda da raquete do Stan com uma variação da tensão

É bom lembrar que essa raquete atende as necessidades e particularidades do Stan Wawrinka. É super interessante saber um pouco mais sobre o material que nosso ídolos usam, mas é importante ressaltar que essa raquete está longe de poder ser bem utilizada por um jogador recreacional de tênis. Cada um sabe o braço que tem, seu preparo físico e sua técnica. O Stan Wawrinka tem muito de tudo isso e por isso tem a capacidade de usar um material como esse.

Vou ficando por aqui, morrendo de inveja(boa) desse monstro e do material que ele usa. Quero experimentar uma variação de tensão similar na minha raquete, quem sabe umas 52/48 em?

Espero que tenham gostado desse post.

Segue os links e os agradecimentos das minhas fontes de pesquisa.

https://tt.tennis-warehouse.com/index.php?threads/wawrinkas-real-racquet-specs.575907/#post-11343812

http://tennisnerd.net/gear/racquets/stan-wawrinkas-racquet/3069

Para ver o video no nosso canal do YouTube basta clicar abaixo:

Grande abraço a todos e até a próxima.

 

 

Comentários do Facebook

6 thoughts on “Raquete dos Profissionais – Stan Wawrinka

  1. Guilherme says:

    Bom Dia,

    Primeiramente, parabéns pela excelente descrição da Raquete do Stan! Gostaria de saber a sua opinião referente a Head Graphene Prestige MP (18X20) (Modelo Antigo). Estou pensando em adquirir ela, visto que está com um preço bem bom aqui na loja em minha cidade. Sou um jogador de baseline, agressivo e gosta muito de jogar com slice. Além disso, qual corda você recomendaria para a raquete, visando ter mais potência.

    Muito obrigado,

    • Empório do Tenista says:

      Olá Guilherme tudo bem? É uma ótima raquete se você busca controle dos golpes e uma raquete bem estável, já que o modelo que vc descreveu me parece ser o de 320 gramas. É uma raquete que exige um pouco do seu braço e de técnica, recomendaria ela se você fosse um jogador de intermediário alto para avançado. Visto que o padrão 18×20 vai te dar mais controle nos golpes você pode utilizar uma corda mais fina como a Focus Hex 1.18 com uma libragem abaixo de 50 libras. Espero ter ajudado.

    • Empório do Tenista says:

      Grande Flávio tudo bem? Olha Flávio a SV 100 apresenta uma relação muito boa de spin e potência, similar as raquetes do mesmo segmento como, por exemplo, Pure Aero, Pure Drive, Wilson Ultra, Head Intinct. Achei que ela solta bola demais, necessitando de uma corda com uma tensão mais alta e para aumentar o controle, achei manuseável e nota 7,5 – 8 em uma média geral. A SV 98 é uma raquete que me chama mais atenção pelas especificações e eu queria muito testá-la e se possível até jogar com ela mesmo, mas infelizmente não tive a oportunidade ainda. Grande abraço!

  2. Flavio says:

    Muito Obrigado pela resposta! Estou pensando em testar a SV 98, mas ainda não consegui. Além disso, você já testou a Vcore Duel G (310g). Acho que ela prioriza mais controle do que potência, correto?

    • Empório do Tenista says:

      Olha Flavio, depois da Aero eu comprei uma vcore 97, linha antiga dessa duel g 97 e achei ela um tanto quanto difícil de jogar. não sei se na época eu não tinha uma técnica adequada com ela, mas lembro que ela sim de muito controle e não era tão permissiva com erros como era na Aero, por exemplo. Acredito que a SV 98 seja uma raquete mais fácil de se jogar do que a Duel g 97 (310g), mas nada melhor que você testar e ter sua própria impressão da raquete. Grande abraço e se precisar de qualquer um dessa raquetes você pode encontrá-las aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *