Yonex Ezone 98 2020 – Review completo.

Yonex Ezone 98

Na postagem de hoje vamos fazer um review da nova Yonex Ezone 98 2020. Há duas semanas nós falamos sobre a Yonex Ezone 100 no site e no Youtube. Hoje vamos fazer um comparativo das duas. Portanto, não vou falar da pintura e nem das novas tecnologias da Nova Ezone, pois estas estão no outro vídeo e na outra postagem, no qual você pode acessar aqui.

Caso queira dar uma olhada nas tecnologias no site da Yonex é só clicar aqui.

Nesse artigo você vai encontrar minha avaliação sobre:

  • Especificações;
  • Funcionamento em quadra;
  • Pontos negativos;
  • Pontos positivos;
  • Minha conclusão.

Especificações da Yonex Ezone 98:

– Peso sem corda: 305g;

– Equilíbrio: 31,5 cm;

– Comprimento padrão: 27 polegadas;

– Padrão de cordas: 16×19

– Swingweight: 317 (encordoada);

– Rigidez: 64RA;

– Tamanho da cabeça: 98 polegadas;

– Encordoada com: Mayami Big Spin – 52 libras .

Funcionamento em quadra

Nos primeiros momentos do bate-bola já pude notar que essa versão da Ezone é um pouco diferente das outras versões. Nesse caso, acredito que essa versão seja superior do que as últimas versões, tanto da última com 305g, quanto da versão DR com 310g, já que a Ezone 98 tem mais potência, ainda que preserve uma rigidez baixa.

A princípio consegui imprimir um ritmo bom com a Ezone, no qual foi diferente da Pure Strike, embora seja uma raquete que gosto, demorei para me adaptar com ela na minha direita. Contudo, com a Yonex Ezone 98 2020 já foi instantânea a minha adaptação para bater a direita. A linha Ezone me ofereceu um benefício para bater a esquerda mais solta, pois tenho maior facilidade com ela.

No início do bate-bola com a Ezone 98, obtive um grande conforto e me senti muito bem para bater com ela. No caso da Ezone 100, a senti um pouco mais seca em comparação às versões anteriores.

Golpes de fundo

Nos golpes de fundo a minha direita entrou muito fácil. Consegui ajustar esse modelo da Ezone muito bem na minha direita logo no primeiro set. Por essa razão, consegui o que é necessário para os golpes. Proposto isso, digo que ela é bem versátil, porque na direita consegui imprimir ritmo, peso e quando eu precisava de spin, também conseguia imprimir, quando eu precisava definir um ponto numa bola um pouco mais reta, sem tanto efeito, eu também conseguia.

Dito isso, a Yonex Ezone 98 2020 é uma raquete de mais controle, no qual consegui ter mais precisão e constância do que com a Ezone 100. Com a 100, eu até podia ser um pouco mais agressivo, mas a Ezone 98 me possibilitou uma precisão para buscar ângulo e manter uma constância de profundidade nas bolas, tudo de forma fácil e natural. Portanto, na direita consegui tudo o que eu quis, imprimi ritmo e me defendi bem.

No caso da esquerda, a Ezone 98 me possibilitou ser muito natural, mesmo! Essa raquete casou muito comigo na defensiva, para atacar, para impor ritmo e para finalizar os pontos. Acabei criando uma identidade muito grande com ela, agora estou até em dúvida em qual raquete vou jogar de fato, se vai ser ela ou a Ezone 100, porém, vou falar sobre isso no final da postagem.

Voleio

No caso dos voleios, falei que com a Ezone 100 consegui ter confiança para fazer voleios um pouco mais curtos. Já com Ezone 98, os voleios de bloqueio são muito mais firmes, por conta disso, eu tive mais facilidade de fazer os voleios com profundidade com a Ezone 98. Logo, para fazer uns drops e jogadas de efeito também foi muito tranquilo.

Portanto, no sentido da rede e até mesmo de fazer a transição, a Ezone 98 é mais versátil do que a versão 100.

Devolução

Na devolução a Yonex Ezone 98 2020 é parecida com a Wilson Blade 16×19, pois você consegue agressivar muito bem. Contudo, no caso do seu adversário dar um segundo saque que não  vai conseguir te deslocar da quadra ou impor um ritmo ou dar um saque no corpo, você conseguirá devolver com muita densidade com a Ezone 98. 

No entanto, se você tiver tempo com a Ezone para preparar seu golpe, ela vai te dar muito resultado. Então, um swing mais amplo, caso você esteja bem posicionado, no qual você arma o golpe e execute bem, a Ezone vai te dar o que você precisa: potência, profundidade, spin (caso você precise ou seja seu estilo de jogo).

Com certeza o potencial de spin é um fator que a Ezone 98 tem vantagem sobre as versões anteriores, e por isso a considero superior nesse quesito.

Saque

O saque foi menos denso no sentido de penetração e velocidade, isso por causa da aceleração durante o saque, portanto, o saque não deixou de perder o peso e constância. Por fim, eu atribuo mais constância na Ezone 98 ao invés da Ezone 100 em relação aos meus saques.

Um ponto importante, no qual vale a pena falar, se trata de quando eu fazia dupla falta com a Ezone 100, pois eu fazia para fora da área de saque, enquanto as duplas faltas que fiz com a Ezone 98 foram na rede. No entanto, uma dificuldade que tive foi de sacar a bola com a margem de segurança um pouco maior, ou seja, sacar com efeito kick e deixar a bola um pouco mais alta para eu poder sacar com uma margem de segurança melhor. Todavia, um efeito negativo para pontuar no saque seria esse.

Sobretudo, meus saques tinham uma trajetória mais reta, bem mais plana, então, de cima para baixo eu não consegui fazer aquela parábola no saque, ou seja, não consegui fazer com tanta facilidade como com as outras raquetes, embora com a Ezone 100 eu tenha conseguido fazer com muito mais facilidade.

Por fim, a Ezone 98 é uma raquete que, em sentido de posicionamento, constância de saque (sacar aberto, sacar fechado, sacar no mesmo lugar, sacar no corpo), é uma boa raquete, embora eu não tenha conseguido, à essa altura, aumentar minha margem de segurança.

Pontos negativos da Ezone 98

O único ponto negativo que coloco é o saque, pois eu precisava imprimir um pouco mais de velocidade e aceleração, porém isso foi uma falha técnica minha, no qual posso consertar e ajustar isso ao longo do tempo que eu for utilizando a Ezone 98.

Pontos positivos

Resumidamente, a Ezone 98 é uma raquete super completa, robusta e estável, ainda mais estável que a Ezone 100, pois esses 5g fazem diferença. Se for colocar o peso da Ezone 98 com a corda, deve ter, aproximadamente, 320g, ao passo que o swingweight seja de 317. Contudo, a Ezone 98 acaba sendo uma raquete estável, mas também muito manuseável e muito gostosa de jogar.

No entanto, para aqueles que testaram as versões anteriores da Ezone e acharam que ela é uma raquete muito controle, essa versão da Ezone está diferente, porquanto com ela você consegue imprimir ritmo com constância, te dando aquela potência controlada. Ou seja, você consegue angular e direcionar bem as bolas, também dando profundidade para seus golpes, e isso tudo sem colocar uma bola no T e outra bola perto da linha de fundo, pois é uma raquete bem sólida.

Levando tudo isso em consideração, eu prefiro a Ezone 98 do que a Pure Strike por dois motivos:

 1. O conforto que a Ezone 98 dá, pois é muito mais superior do que a Pure Strike oferece;

 2. A minha direita andou melhor com a Ezone 98, sendo natural e fácil para eu encaixar. Isso demorou mais para acontecer com a Pure Strike, no qual demorei mais para me acostumar. Portanto, no quesito de saque, eu ainda prefiro a Pure Strike, mas considerando as duas de forma geral, fico com a Ezone 98.

Não obstante, como eu já falei, a direita é bem sólida, você consegue fazer de tudo, tornando a Ezone 98 uma raquete bem versátil. Na esquerda, para fazer drop como para bater uma esquerda para imprimir ritmo ou até mesmo ir para o winner, é bem fácil. Ela também dá drop, dá jogada de efeito, curtinha e você pode ficar à vontade para fazer isso com ela.

Minha conclusão sobre a Yonex Ezone 2020

Eu indico a Yonex Ezone 98 2020 para intermediários que procuram mais controle, podem usar sem preocupação. Outra vantagem desse modelo é que quando você precisa de um golpe denso e penetrante ela entrega.

Vocês sabem que habitualmente eu uso a Ezone 100, entretanto, como eu utilizei a Pure Strike e senti um pouco o meu cotovelo (eu estou com ele inflamado), sendo que a Ezone 100 também é mais rígida, agora vou usar a Ezone 98 como minha raquete de uso cotidiano. Depois que eu me recuperar, farei o teste das duas durante uma semana e vejo com qual eu ficarei.

Por fim, gostei muito desse modelo, até mais do que os modelos anteriores e acredito que ela seja uma raquete bem versátil e completa para qualquer tipo de jogo ou jogador que esteja em nível intermediário ou um pouco avançado.

Pessoal, agradeço mais uma vez por vocês me acompanharem por aqui! Os reviews ficarão um pouco mais difíceis de fazer por conta dessa situação, pois o clube está fechado e não há como nós testarmos as raquetes. Por essa razão, vamos fazer os próximos reviews das novas Speeds, tanto a 360+MP quanto da Pro.

Qualquer dúvida deixe nos comentários e a próxima postagem vai ser sobre a comparação entre a Ezone 98 e a 100.

Grande abraço! Até a próxima!

3 thoughts on “Yonex Ezone 98 2020 – Review completo.

  1. Pingback: Review Head Radical MP 2021 - Empório do Tenista

  2. WESCLEY S DE AMORIM says:

    Olá, qual set de corda e libras você indica para não ter boa potência com ela?
    Estou jogando com ela com a Solinco HyperG (1.25) 49 libras e sinto que perdi um pouco de potência
    Antes jogava com a Aero + Poly tour 50 libras (1.25), mas senti o cotovelo e tive que trocar a raquete.

    • Empório do Tenista says:

      Eu estou usando 53 libras com a Mayami BIg SPin. Com certeza ela é bem menos potente que a Aero, e as vezes você terá que ajustar um pouco mais na tensão para poder aumentar um pouco sua potência. Sugiro em um próximo teste tentar umas 46 libras e ver se melhora ok? Grande abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
1
Precisa de ajuda?
Empório do Tenista
Olá! Podemos te ajudar?